História 

O município teve vários nomes no decorrer de sua história: Campanhas do TijucoCapela do São José do Rio Tijuco (1833), Distrito de São José do Tijuco (1839), Vila Platina (1901) e, finalmente, Ituiutaba (1915), termo tupi que significa "aldeia do lamaçal do rio", pela junção de 'y (rio), tyîuka (lamaçal) e taba (aldeia)[9], ou ainda "povoação do rio Tijuco". Tijuco significa "lama". Seus principais fundadores foram os desbravadores e viajantes Joaquim Morais e José da Silva Ramos, cujos descendentes permaneceram nessa região.

Os habitantes da região eram os ameríndios caiapós, chamados de tabajaras ou "bilreiros", pertencentes ao grupo , popularmente chamados de "bugres".

Por volta de 1819, chegaram, à região do Rio Tijuco, Joaquim Antonio de Morais e José da Silva Ramos, com suas famílias. José da Silva Ramos propôs ao concunhado mais jovem, Joaquim Antonio de Morais, separarem uma parte de suas glebas para a construção de uma capela e um cemitério.

Em 1830, chegou, à região, o padre Antônio Dias Gouveia, em companhia de seus sobrinhos. Empenhou-se em concretizar a construção da capela e do cemitério com o apoio dos moradores da região.

Por volta de 1832, foi edificada a primeira capela em honra a São José, e, em torno dela, nasce o "Arraial São José do Rio Tijuco", pertencendo ao município de Prata. A emancipação aconteceu por força da Lei Estadual de nº 319, de 16 de setembrode 1901, passando a chamar-se Vila Platina.

Em 1915, o município passou a chamar-se Ituiutaba.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now